Esperança para o planeta

terraNos últimos anos, o mundo inteiro passou a falar sobre ambiente e “ecologia”, palavra criada em 1869 pelo cientista alemão Ernst Haeckel.

 Hoje, o tema está em capas de revistas, notícias da TV, eventos artísticos, livros, filmes, documentários…Porém, o interesse pelo assunto não tem a ver apenas com um novo nível de conscientização. A questão é que o planeta começou a apresentar inúmeros problemas, em resposta às agressões que vem recebendo. Se alguns achavam que a mídia estava fazendo sensacionalismo, fenômenos como o aquecimento global não deixam dúvida de que algo sério está acontecendo.

Sem apelar para o discurso do caos, devemos prestar atenção aos sinais de alerta de que nem tudo está bem. Entre esses sinais estão o efeito estufa, o aquecimento global, a chuva ácida, o derretimento das geleiras, a crise de água, a revolta da natureza, a destruição da biodiversidade, o consumo desequilibrado, a contaminação do ar e o aumento da desertificação.

Diante da situação, o que você tem feito? Há um avanço em termos de documentos e ação global, já que problemas globais exigem soluções globais. Os países e as empresas estão se tornando cada vez mais ambientalmente responsáveis. Porém, cada um pode dar sua contribuição. O fato de você não poder fazer tudo não significa que não deva fazer nada. 

 

 

  

 

 

 

  

 Como bons cidadãos, devemos preservar o planeta para as novas gerações. E, como cristãos, somos chamados a promover o princípio do cosmos e não do caos, da proteção e não da destruição, do cuidado e não do estrago. Afinal, quem destrói a criação está na contramão da ação divina. Por isso, como diz João em Apocalipse 11:18, está chegando o tempo de Deus destruir “os que destroem a terra”. Se você quiser continuar vivendo no planeta do futuro, tem de aprender a preservá-lo desde agora.

A boa notícia é que, além de nossas iniciativas “verdes”, podemos contar com uma ajuda essencial. Num livro recente, os ambientalistas americanos Ted Nordhaus e Michael Shellenberger sugerem que a salvação do planeta está na tecnologia. Em parte, eles têm razão. Mas a grande esperança vem de outra fonte.

A Bíblia apresenta o sonho de um novo mundo com ar puro, água vivificante e inesgotável, natureza exuberante, ambiente perfeito. A Terra será recriada. Contudo, quem vai fazer isso é Deus, e não o ser humano. Deus é a verdadeira esperança para a crise do planeta.

No Gênesis, o primeiro livro da Bíblia, vemos o conceito de um jardim preparado para oferecer uma qualidade de vida excepcional. Todo o ambiente conspirava para o bem-estar. Com suas capacidades sensoriais, Adão e Eva deveriam apreciar as delícias do paraíso e viver para sempre. As coisas deram errado, como sabemos. Mas no Apocalipse, o último livro da Bíblia, vemos novamente a promessa de um ambiente perfeito, com acesso livre à fonte da vida.

Há várias maneiras de ler o Apocalipse. Uma delas é através da visão ecológica. No livro, dois sistemas são apresentados através do simbolismo de duas cidades: Babilônia (Roma) e a Nova Jerusalém. Uma cidade é exploradora, opressiva e injusta; a outra é pacífica, libertadora e justa.

Em Apocalipse 21 e 22, a Nova Jerusalém é retratada como uma capital gloriosa, onde as categorias originadas pelo pecado jamais entrarão. Não há exploração humana nem danificação do ecossistema. A paisagem urbana, enriquecida por uma arquitetura esplêndida, é embelezada por uma natureza exuberante, incluindo a árvore e o rio da vida. O essencial para a vida é oferecido de graça. A cidade eterna promove reconciliação, justiça e cura.
Esse mundo incrível é para você, que faz parte do sonho de Deus.

Marcos De Benedicto

Comente