Dieta Infantil – Primeiros anos

esperanca-dietainfantil2

A primeira preocupação de pais e mães deve ser: “Que faremos com o filho que nos vai nascer?”. O melhor alimento para o nenê é o que lhe foi provido pela Natureza. Não deve, sem necessidade, ser dele privado. É falta de coração eximir-se a mãe, por amor da comodidade ou de diversões sociais, da delicada tarefa de amamentar o filhinho.

A mãe que consente que seu filho seja amamentado por outra, deve considerar bem os resultados que isso pode trazer. Em maior ou menor grau a ama comunica seu próprio temperamento à criança que amamenta.

É crítico o período durante o qual o bebê recebe o alimento da mãe. Muitas mães, enquanto nutrem a criança, têm-se permitido trabalhar demais, o que tem afetado seriamente o bebê, não só pelo alimento febril recebido do seio da mãe, mas também porque seu sangue se tornou envenenado pelo regime insalubre daquela — regime que lhe tem posto em estado febril todo o organismo, deste modo afetando o alimento do pequeno. Este é também afetado pela condição da mente da mãe. Se ela é infeliz, se facilmente se agita e se irrita, dando lugar a irrupções de paixão, o alimento que a criança recebe da mãe é inflamado, produzindo muitas vezes cólica, espasmos e, em alguns casos, convulsões e desmaios.

Também o caráter da criança é mais ou menos afetado pela natureza do alimento recebido da mãe. Quão importante, então, que a mãe, enquanto amamenta seu bebê, conserve um estado mental feliz, tendo o perfeito controle de seu espírito. Assim fazendo, não se prejudica o alimento da criança, e o procedimento calmo e dominado seguido pela mãe no cuidado do filho, tem muito que ver com o molde de seu espírito. Se o pequeno for nervoso, ficar agitado facilmente, as maneiras cuidadosas e calmas da mãe terão uma influência no sentido de abrandar e corrigir, e a saúde da criança muito poderá aproveitar.

Alimentação x Comportamento

Tem-se feito grande mal às crianças por um trato impróprio. Se a criança se mostra impertinente, geralmente se lhe dá alimento para aquietá-la, quando, na maioria dos casos, a própria razão de sua irritabilidade está em ter recebido demasiado alimento, tornado nocivo pelos hábitos errôneos da mãe. O acréscimo de alimento apenas piora a situação, pois seu estômago já estava sobrecarregado.

Devem os pais tornar sua primeira preocupação compreender as leis da vida e saúde, para que nada façam, no preparo do alimento, ou por meio de qualquer outro hábito, que desenvolva tendências erradas nos filhos. Quão cuidadosamente devem as mães procurar dispor a mesa com o alimento mais simples e saudável, a fim de que os órgãos digestivos não sejam enfraquecidos, desequilibradas as forças nervosas e, por causa do alimento que lhes é apresentado, contraditada a instrução que deviam dar aos filhos! Esse alimento, ou enfraquece ou fortalece os tecidos do estômago, e tem muito que ver com o controle da saúde física e moral dos filhos. Que depósito sagrado é confiado aos pais: guardar a constituição física e moral de seus filhos, de modo que o sistema nervoso seja bem equilibrado e a alma não corra perigo! Os que condescendem com o apetite dos filhos, e não lhes controlam as paixões, reconhecerão o terrível erro que cometeram, vendo os escravos do fumo e da bebida.

Ellen White


Fazer as crianças se alimentarem bem e serem mais saudáveis é um grande desafio. Nossos especialistas, os médicos Luiz Fernando Sella e Daniela Kanno, ensinam dicas práticas para ajudar pais e mães nessa árdua tarefa! E ainda, o chef Philipe Biazzi ensina uma receita deliciosa de Pudim.

Comente