O que é jejum e por que praticá-lo?

O jejum é uma das principais ferramentas para a comunhão com Deus. Mas o que significa jejum espiritual? Simplificando, é a abstenção de alimento para finalidades espirituais. O objetivo é conduzir uma pessoa à plena lucidez espiritual e facilitar a profunda comunhão com Deus, pois o organismo não utilizará energia para a digestão, de modo que o cérebro terá mais energia para refletir nas coisas espirituais. Como prática religiosa, é voluntário, exige pureza de vida e exclui a exibição.

 

Para quem é indicado?

1) Para quem tem medo. Existem muitas coisas na vida que nos provocam medo: desemprego, doenças, fome, pessoas más… O jejum proporciona especial oportunidade para íntima comunhão com Deus. A amizade com o Senhor Jesus traz paz e segurança ao coração. (2 Crônicas 20:3, 4).

2) Para quem está arrependido. O arrependimento é obra milagrosa do Espírito Santo. Se o coração encontra-se aflito e há dúvida sobre o perdão divino, faça um jejum. Você terá, na ocasião, espaço ideal para reflexão e leitura da Bíblia. Sendo assim, Deus o fará sentir Seu perdão e promoverá alívio à alma. (1 Samuel 7:6, Jonas 3:5).

3) Para quem busca a conversão. Converter-se significa mudar de direção. Deus deseja nos manter sempre em Seu caminho. Ao povo de Israel, o Senhor solicitou jejuns para levá-lo ao quebrantamento do coração e conduzí-lo à conversão. Faça jejum periodicamente e busque maior comunhão com Deus. (Joel 2:12).

4) Para quem necessita de uma resposta divina. A ação de jejuar o colocará numa condição de entrega a Deus, e o tornará sensível para discernir Suas respostas. ( Ester 4:16).

5) Para quem deseja humilhar o coração. O jejum é um excelente antídoto para o orgulho que deseja instalar-se no íntimo. Por meio dele percebemos que somos completamente dependentes de Deus. (Esdras 8:21, Salmo 35:13).

6) Para quem enfrenta forte provação. Jesus sentia-se fortalecido pelo jejum. Ao enfrentar as terríveis tentações de Satanás, encontrava-se plenamente lúcido. O exemplo de Jesus deve ser seguido. Ao enfrentar tentações ou provações, faça do jejum uma das principais armas espirituais. (Mateus 4:1, 2).

7) Para quem precisa do poder. O jejum precisa resultar em “poder” para quebrar todas as cadeias do mal e libertar os aflitos de alma.

8) Para quem decidiu entregar-se a Deus. O jejum é fundamental para uma vida santa e piedosa diante do Senhor. Todo clamor é ouvido por Deus. (Joel 1:14).

9) Para compreender a Palavra de Deus. Quando se tem alguma dúvida bíblica, o jejum oferece maior facilidade para o estudo e a iluminação do Espírito Santo. O entendimento será aberto pelo Espírito, que o guiará por toda a Verdade.

 

Como jejuar?

– Defina o objetivo: peça ao Espírito Santo que mostre claramente a direção e os objetivos para o seu jejum e oração.

– Faça o seu compromisso: qual a duração do jejum? De meio dia, dia inteiro ou mais? Que tipo de jejum você vai adotar? Tomando apenas água, água e sucos, comendo apenas frutas… Quanto tempo você dedicará à oração e à leitura da Bíblia? De que atividades físicas ou sociais você irá abster-se? Idas a shoppings, TV, Internet…

– Prepare-se espiritualmente: peça a Jesus perdão por todos os seus pecados e clame pelo batismo do Espírito Santo.

– Avalie sua condição física: se tiver algum problema de saúde, consulte um médico para saber qual o tipo de jejum ideal pra você.

– Termine o jejum gradualmente: não coma comidas sólidas imediatamente após o jejum. Se você terminar o jejum aos poucos será melhor para a sua saúde.

– Programe o próximo jejum: assim como precisamos de um novo enchimento do Santo Espírito diariamente, também precisamos de novos períodos de jejuns perante Deus.

 

Existe também outro tipo de jejum que produz enormes benefícios para a mente e auxilia em uma melhor comunicação com Deus. Veja a seguir o jejum espiritual para os cinco sentidos – realize-o durante dez dias, pelo menos:

Audição: não ouça rádio e músicas seculares. Procure ir à natureza para ouvir o seu som.

Visão: não assista TV (exceto conteúdos espirituais), não leia revistas e evite sites seculares. Estude a Bíblia.

Paladar: não coma carnes (de qualquer tipo), doces, leite e seus derivados, além de frituras. Use frutas, verduras, nozes, castanhas, grãos e cereais. Pratique as boas regras de saúde. Mantenha intervalos de 5 horas entre as refeições e não coma após as 19 horas.

Olfato: respire ar puro logo pela manhã. Ao longo do dia respire profundamente.

Tato: faça caminhadas em locais de muito verde e, se possível, ande de pés descalços.

 

O jejum que Deus não aceita:

Por orgulho ou penitência: “dizendo: por que jejuamos nós, e tu não atentas para isso? Por que afligimos a nossa alma, e tu não o levas em conta? Eis que, no dia em que jejuais, cuidais dos vossos próprios interesses e exigis que se faça todo o vosso trabalho. Que jejuais para contendas e rixas e para ferirdes com punho iníquo; jejuando assim como hoje, não se fará ouvir a vossa voz no alto” – Isaías 58:3, 4.

Praticar o jejum para exibir cristianismo, provocar intrigas e visar interesses egoístas não é aceitável a Deus. O que deveria ser uma bênção, torna-se então uma maldição.

O jejum não pode ser uma espécie de “justificação pelas obras”, ou seja, “vou jejuar e me salvar”. A salvação vem unicamente pela fé em Cristo Jesus. O jejum deve ser útil apenas como instrumento de uma busca mais profunda pelo Salvador.

 

O Senhor Deus deseja conceder-lhe um vigoroso discernimento espiritual, novas percepções de Sua glória e desenvolver em você a fé incondicional. Faça um plano pessoal de jejum. Você se sentirá física, mental e espiritualmente fortalecido, e entenderá claramente as respostas que Deus concede às suas orações.

 

FONTE: Texto extraído do livro “Alcance o poder”, de Manassés Queiroz. Para adquirir clique aqui: http://www.alcanceopoder.com.br/livro/

 

Comente