A Comunicação na Família

Embora pareça um paradoxo,a comunicação das abelhas e de muitos outros animais, em níveis muito complexos, é mais eficiente que a que ocorre entre nós.O propósito deste artigo é dar orientações para que a comunicação familiar seja efetiva.

O que significa se comunicar
Significa criar impacto, dar a conhecer, transmitir,dar e receber informação. A palavra comunicação vem do latim “comunis” que significa comum. Por tanto,quando nos comunicamos,estamos tentando estabelecer algo em comum com outro indivíduo ou grupo de pessoas.em sentido básico, estamos tentando estabelecer algo em comum com outro indivíduo ou grupo de pessoas. Em sentido básico,estamos tentando compartilhar. Mas o que é isso? A resposta é simples: nossos pensamentos e sentimentos.

Como nos comunicamos
Nossas palavras têm o poder de animar ou de desanimar nossos amados;podemos guiar nossas comunicações na direção correta ou incorreta. Mas elas penas representam 7% de toda nossa mensagem transmitida,o que significa que 38% se realizam por meio do tom da voz e os restantes 55% ficam por conta da linguagem corporal.
Além da importância e função cumpridos pelos meios já mencionados, o ato de ouvir pode ser ainda mais importante do que falar. Significa entender o que os outros pensam e sentem. Essa ação exige habilidades tais como o refrear-se de julgar e o uso da empatia para entender a experiência, o sentido e o ponto de vista da outra pessoa.

Estilos de comunicação
A comunicação na família é muito diferente da comunicação formal. Ryan e outros dizem que há quatro estilos de comunicação familiar. Vale dizer: comunicação clara e direta; comunicação clara e indireta; comunicação mascarada e direta; e comunicação mascarada e indireta. Cada estilo tem suas vantagens e desvantagens; assim sendo, o comunicador é quem diz qual estilo usar, de acordo com a situação. Qualquer que seja o estilo de comunicação e o modo de fazê-lo, há acordo em um ponto: a comunicação é o instrumento ou fator essencial que une a família.

A comunicação aberta e honesta cria uma atmosfera que permite compartilhar as diferenças, o amor e admiração, e quase sempre ocorre em cada família saudável. Essa comunicação não é clara e é indireta o que, normalmente, leva a muitos problemas familiares, incluindo o conflito familiar excessivo, a solução ineficaz de problemas, a perda da intimidade e a união emocional deficiente, alto risco de fracasso conjugal e mais problemas de confuta entre os filhos. Visto que a comunicação eficiente é característica da família saudável, esta inclui todos os membros. Não é boa a prática familiar conversar apenas entre os adultos, deixando de lado os membros menores.

É importante lembrar que a família é um sistema onde o todo é mais que a soma de suas partes. A seguinte seção tem por objetivo ilustrar o envolvimento de adultos e filhos menores na comunicação.

Sugestões humanas para nos comunicarmos efetivamente
Dedique tempo para ouvir e discutir. Comunicar-se ou deixar de fazê-lo não é assunto negociável. Não deixe de ouvir o que seus filhos têm de dizer, não importa o quão insignificante seja o tema, pois para eles é de grande valor. Quando seus filhos mostram entusiasmo por algo, conversem a respeito. Construa, não mine seu entusiasmo, criatividade e curiosidade. Demonstre interesse e permita que eles saibam que o interesse e a discussão fazem parte da via de mão dupla.

Não desaprove sempre e evite o sarcasmo
Se algum membro percebe que aquilo que disse, fez ou gosta é ignorado, logo deixará de se comunicar. Toda pessoa, de forma especial as crianças, deseja ser aceita e não rejeitada.Zemanta Related Posts Thumbnail

Cumpra suas promessas
A forma mais fácil de perder o respeito é prometer algo e não cumprir. As pessoas lesadas,qualquer que seja a idade, perdem a fé nessa situação. Portanto, é essencial que sua família o respeito e o veja como digno de confiança.

É saudável discordar e questionar.
Permita que os membros da família discordem de você a respeito de algum assunto. Admita que você não sabe tudo. Quando os filhos entram nos anos da adolescência, é normal que comecem a explorar outros sistemas de valores; que questionem as respostas e que ponham à prova as teorias dos pais. Não importa o quão detestável isso possa parecer, permita-lhes expressar seus sentimentos. Porém, enfatize o respeito mutuo. Estou certo de que eles sentirão a necessidade de se corrigir.

Não tema dizer “não”
A família é um sistema com estruturas. Entre elas se encontram os limites e as regras. Cada membro da família deve saber se está ou não dentro dos limites e se é permitido ou não determinar as regras. Nesse contexto,escolha cuidadosamente as vezes quando o “não” é a melhor resposta;trate e equilibre as regras familiares com vistas a atender às necessidades e expectativas bem humanas. Veja que os filhos saibam que os adultos são humanos, consistentes, compreensivos e razoáveis com seu “sim” ou “não”.

Não faça sermão ou reclame
A forma mais segura de anular a comunicação entre pais e filhos e o ensino de valores dando um sermão.Não ajuda reclamar constantemente deles pelos erros cometidos.Eles também tem o direito de se equivocarem.

shutterstock_281581874_ppDedique tempo para brincar
Além do benefício da descontração que nós adultos necessitamos,brincar com os filhos fortalece o relacionamento com eles.O participar dos interesses dos filhos prepara seu ânimo para serem mais sensíveis à influência paterna,por meio da comunicação.
Ore com sua família. Celebrem o culto matutino e o vespertino ao redor do “altar da família”. A família que ora, não apenas se mantém unida, mas, ao praticar a comunicação vertical, habilitar-se para se comunicar horizontalmente.

Estimule o desenvolvimento da autoestima
Com regularidade, faça elogios, demonstre afeto. Essa atitude reforça o sentimento de pertencer e da autoestima. O conceito bom de si mesmo faz com que a pessoa saiba seu valor e isso permite sentir-se bem consigo mesma e permite a capacidade de dizer “não” diante da pressão dos pares.

Sugestões divinas para nos comunicarmos efetivamente
Ouça antes de dar uma resposta (Pv 18:13); fale no momento certo e sem ferir (Pv 25:11);seja claro e específico (Pv 17:27);responda com brandura diante de qualquer ofensa (Pv 15:1); busque o momento certo para conversar (Pv 15:23); pense antes de responder (Pv 15:28); profira palavras positivas,alentadoras, motivadoras e alegres (Cl 4:6); controle sua ira (Ef 4:26) e aprenda a ouvir,pense antes de falar e desenvolva o domínio próprio (Tg 1:19).

Dr. Joel Peña C:. Diretor da Unidade de Ciências da Família da Universidade Peruana Unión

Comente