A Família e o Grande Conflito

A família e o sábado foram as primeiras instituições estabelecidas por Deus durante o processo da Criação do nosso mundo (Gênesis 1-3). Sabia o Senhor que a melhor forma de manter o homem feliz dentro do Seu plano de amor, aprendizagem e crescimento passava pela experiência do homem participar da incrível bênção do processo de compartilhamento da vida. Deus colocou no plano de vida do ser humano a constituição da família e o milagre da procriação de filhos. Porém, no livro de Apocalipse lemos o que Satanás, com seu plano maquiavélico, fez para trazer infelicidade à raça humana. Ele se rebelou contra Deus, e depois de uma batalha, foi expulso do céu, e lançado na terra, juntamente com uma terça parte dos anjos (Apocalipse 12:7-9). E em retaliação a Deus, Satanás levou a efeito o seu plano de manchar o caráter de Deus fazendo com que, se possível, todos os seres criados duvidassem do Seu amor e da Sua justiça. Desta forma, queria que também escolhessem rebelar-se contra Deus. Logo os planos de Satanás alcançaram êxito, como nos revela a Bíblia, ao serem os nossos primeiros pais enganados por ele ao cederem à tentação diante da árvore da ciência do bem e do mal.
Satanás parecia ter triunfado, mas o Senhor Deus foi ao encontro de Adão e Eva e naquele momento tornou conhecido por ter sido o Seu divino plano de resgate do pecador penitente.
Então, pronunciou a primeira promessa bíblica que aponta para a vinda do Messias, o Resgatador, Àquele que pagaria o devido preço para o retorno do homem ao plano original de
Deus. A promessa está explicitada em Gênesis 3:15 “E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua semente; esta te ferirá a cabeça e tu lhe ferirás o calcanhar”
Diante desses fatos, o nosso mundo e seus habitantes estavam agora envolvidos no drama do grande conflito, que aflige a todos e por toda a vida. A partir deste momento, cada instante
da vida humana tem como cenário, como pano de fundo, a luta do bem contra o mal pela posse das decisões e do amor do homem. Quem sentará no “trono” de nossa existência?

Tendo consciência desse cenário, que envolve cada um de nós, entendemos o porquê de todas as famílias enfrentarem lutas, problemas e dificuldades de toda ordem. É o desenrolar
do drama do grande conflito que atinge a todos com o objetivo claro de nos fazer desanimar na fé, e desconfiar do amor e cuidado de Deus por seus filhos.Uma família bem ordenada tem poder para formar caracteres e uma geração de homens e mulheres capazes de amar e viver a missão da pregação do evangelho. Uma família bem ordenada amplia as fronteiras da salvação para o mundo. Por isso, a família tem se tornado o alvo da ira do inimigo para destruir o Plano de Deus. (Fundamentos do Lar Cristão capítulo 1, Ellen White)
ARMADILHAS NO CAMINHO
Neste contexto de pecado, o inimigo das almas colocará todas as armadilhas e obstáculos, quantos forem possíveis, para nos fazer tropeçar. Seu objetivo é de nos fazer cair, desanimar e consequentemente, perdermos a fé no amor e no cuidado do Senhor. Entretanto, nesta guerra pela posse de cada ser vivo, nosso querido Salvador Jesus Cristo, colocará à nossa disposição todas as ferramentas e hostes celestiais a fim de nos amparar, animar e erguer nossa fé. Em Seu amor, misericórdia, perdão e plano de restauração nos reconduzirá
à felicidade eterna. Nesta guerra cósmica o que podemos fazer para que nossa família saia vitoriosa? Como cada família de crente, por meio do amor e da misericórdia do Senhor, finalmente, naquele glorioso dia, receba a coroa da vitória? Abaixo listamos algumas orientações que nos ajudarão no enfrentamento desta guerra:

 

– Entendermos que todas as pessoas e famílias passam ou passarão por problemas e tribulações. Isto não é “privilégio” de alguns, mas de todos. Jó era um homem bom, fiel, íntegro, reto e temente a Deus, mas enfrentou duríssimas provas. (Jó 1-2).
– Aprendermos, apesar das circunstâncias difíceis que estejamos enfrentando, estar contentes e confiantes em Deus. Paulo nos ensina esta poderosa arma na luta contra o mal, quando enfrentou as mais terríveis agruras para que desanimasse de seu ministério e de seu Salvador. (Filipenses 4:11-13).
– Desenvolvermos atitudes de gratidão. A gratidão nos estimula a avançar em meio às tribulações, dissipa as névoas da tristeza e do desânimo em meio às pelejas da vida. (I Tessalonicenses 5:18).
– Estudarmos a Bíblia diariamente para nos fortalecer e nos preparar para as ciladas, ataques e enganos do inimigo. A leitura da Bíblia nos aponta os tempos, os caminhos, as armas do adversário, seus estratagemas, e como podemos nos defender e a conhecer a vontade do Senhor quanto à forma de vivermos. (Mateus 22:29 e João 5:39).

– Vivermos em consonância com a vontade de Deus. Estudar a Palavra e conhecê-la são armas poderosas nesta guerra do grande conflito, porém não serão de todo efi ciente se não houver coerência entre a leitura, os ensinos e vida cotidiana. (Mateus 7:24-27).
– Orarmos de forma sincera e honesta. A oração cotidiana pode, em algum momento, ser uma arma ineficaz, pois muitas vezes torna-se apenas um bom hábito. Um bom hábito pode ser excelente para a vida, mas não opera vitória no grande conflito contra o arqui-inimigo. (Mateus 6:5-13).
– Descobrirmos qual a verdadeira vontade, diretrizes e mandamentos do General do bem. E a despeito das aparentes impossibilidades, avançarmos sob sua ordem. Moisés avançou sobre o Mar Vermelho, Abraão ofereceu seu filho Isaque, Daniel enfrentou a cova dos leões, os três jovens hebreus subsistiram a fornalha ardente e o próprio Jesus prevaleceu ao Getsêmani, ao Calvário e à Tumba. (Êxodo 20: 1-17 e João 14:23).
– Permitirmos que o Senhor Jesus seja nosso Sumo pastor para todos os momentos e nos entregarmos ao Seu cuidado e amor. Confiarmos que tudo está sob Seu controle, para que assim, possamos resistir às investidas de Satanás. (Salmos 23 e Tiago 4:7).
– Suplicar pelo batismo diário do Espírito Santo. Ele é quem nos conduzirá em meio ao mundo de pecados, enganos e mentiras. O Santo Espírito é quem nos mostrará qual a verdade de Deus, quais são Seus desígnios. Ele é quem nos indicará as armas certas de defesa e de ataque, nesta guerra onde somos o alvo a ser conquistado e o campo de batalha. (João 16:5-11).
Quão maravilhoso será podermos ouvir ao final da maior batalha já travada que: “Ao que está assentado sobre o trono, e ao cordeiro, sejam dadas ações de graça, e honra, e glória, e poder para todo o sempre”.(Apocalipse. 5:13) O grande conlito terminou. Pecados e pecadores não mais existem. O universo inteiro está purificado. Uma única palpitação de harmonioso júbilo vibra por toda vasta criação. Daquele que tudo criou emana vida, luz e alegria por todos os domínios do espaço infinito. Desde o minúsculo átomo até o maior dos mundos, todas as coisas, animadas e inanimadas, em sua serena beleza e perfeito gozo declaram que Deus é amor. (O Grande Conflito, 678.3, Ellen White)

Comente